La Vita Felina

Um Gato de Rua Chamado BOB

Oi gente, tudo bem?

O Post de hoje é pra compartilhar com vocês um presente muito legal que meu pai deu ao genro esses dias por ocasião do seu aniversário: Um Gato de Rua Chamado Bob foi um presente inspirado no nosso querido caçula o BILLY BOB.

Eu amei a história e super recomendo a todos os gateiros e gateiras de plantão!!! Lambeijos …

525415_595567517127637_1961326645_n

A história apaixonante conta como um gato pode transformar a vida de uma pessoa dando-lhe sobretudo esperança de dias melhores, gatos  e sua magia…

post-330_2

James Bowen era um toxicodependente que vivia nas ruas de Londres. Um dia cruzou-se com um gato e a sua vida mudou. O jovem australiano tocava guitarra nas ruas da capital inglesa e só ficou conhecido quando começou a levar o gato. A amizade foi crescendo e o músico acabou por escrever “A Minha História com Bob” que vendeu mais de um milhão de exemplares. Perante o sucesso, acabou por lançar o segundo livro, “O Mundo segundo Bob”.

Confira a reportagem sobre o autor:

Gostou do BOB? Curta a sua Página no Facebook: Gato Bob

Meu BILLY BOB :

1374825_348713288605921_462763094_n

6 Comentários

  • Nice Barth

    Um gato Siamês apareceu na minha casa em Junho de 2015 e refugiou-se debaixo do carro. Miava desesperado, pois meu outro gato de rua , o macho Pierrô, atacou-o ferozmente. também uma gata adotada, Domitila, que também não gostou do siamês e também rosnava furiosa para ele. Consegui pegar o coitadinho, que ficou no banheiro, escondido, enquanto eu procurava o dono. Não encontrando, procurei doá-lo, para sua própria segurança. Mas, como não era castrado, as Ongs não o aceitavam. Então levei-o ao veterinário, onde foi castrado, vermifugado e vacinado, tudo direitinho. Mesmo assim ele não conseguiu um dono.
    Foi ficando em minha casa, deu-lhe vários nomes e ele não respondia a nenhum. Mas, quando falei Frederico, ele respondeu: Minhaaaaauu… Tinha uma voz de timbre mais grave, como os Siameses. Daí em diante, foi Frederico.
    Convivia com o Pierrô sempre em guerra, mas com os donos da casa era o mais amoroso e sociável que já vi, um amor total.
    Aconteceu que num Domingo de Dezembro do ano passado, encontrei-o na copa, dentro de uma caixa funda, muito quieto e com sangue no branco dos olhos. Quando o retirei, miou de dor. Mas não havia nenhum ferimento, nenhum traço de sangue em parte alguma do corpo. O quê teria acontecido com ele? Meu coração se apertou muito… Arrumei um canto para ele com tapete macio, ração e água, novamente no banheiro, para que o Pierrô não o atacasse e coloquei a caixa de transporte como uma casinha para que se abrigasse, se quisesse um teto sobre a cabeça. E ali ficou em observação até o dia seguinte, quando o levei ao veterinário. O diagnóstico foi de atropelamento ou tentativa de escapar de um portão se fechando. O Dr. Pedro disse que as vísceras estavam com problemas e que teria de operá-lo.
    Deixei-o lá e voltei para casa, esperando de olho no relógio que me ligassem da Clínica para ir buscar o Frederico e trazê-lo para casa para a recuperação.
    Mas aí… Foi o próprio Dr. Pedro quem ligou, dizendo que a cirurgia terminará, mas “o animalzinho não resistiu…”
    Acho que nunca chorei tanto, tanto tempo, nem tão sentidamente…
    Só por seis meses tivemos o mais carinhoso dos gatinhos! Ainda agora a saudade voltou com força e chorei muito ao contar a pequena história do Frederico em noss casa…

  • Lourdes

    Meu “bob” na realidade se chama Prince e também me tirou de uma terrível depressão , quando perdi meu marido em um acidente. Isso ocorreu há três anos e meio. Voltei a viver pois Pince não come e não bebe água quando me afasto por algum tempo. É um amor incondicional, que nada pede, nada reclama, apenas dá AMOR !.

  • Maria Cristina

    Uma história muito emocionante e de grande aprendizado…coisas reais …chorei varias vezes lendovessa história …pois tenho uma amizade assim com os meus bichinhos….e o primeiro que resgatei quando me mudei para uma casa nova e me sentia sozinha me ajudou a sair de uma depressão …a companhia de um animal é essencial para aprendermos a amar verdadeiramente!

    • FeKzar

      FeKzar

      Obrigada pela participação aqui no Blog. Amo ler os comentários dos seguidores!!! Eu também fiquei emocionada em muitas partes do livro, uma linda história real sem dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *