Benvenuto

Road To Mandalat

Tido como um dos mais luxuosos navios em atividade, o mesmo promove verdadeiras experiências culturais.

Um cruzeiro a bordo do Road To Mandalay é a aventura de uma vida. Durante a tranquila navegação ao longo do rio Irauádi, os passageiros encontram belezas naturais impressionantes, paisagens atemporais e animais raros. Isso sem contar que os nativos de Mianmar são o povo mais acolhedor e hospitaleiro do mundo.

 

1 – No início de cada temporada, para garantir uma passagem segura sobre a água, cinco monges anciãos de Mandalay sobem a bordo e realizam uma cerimônia de bênção especial. Segundo as crenças budistas de Mianmar, este rito é um dos mais importantes para os que cruzam as águas do país. Há também um altar dedicado a Buda, localizado na sala de observação do navio (onde a cerimônia de bênção é realizada). Oferendas de flores e água são feitas diariamente;

2 – Duas vezes por semana, o Road To Mandalay cruza as águas que separam Mandalay e Bagan. Quatro vezes por ano, o cruzeiro acontece entre Mandalay e Bhamo. Durante uma temporada inteira o navio viaja cerca de 9.000 quilômetros;

3 – A equipe do Road To Mandalay é composta por 75 profissionais, sendo 73 deles nascidos na Birmânia. Destes, quatro estão no navio há 15 anos, e oito estão desde sua primeira navegação no Irauádi, há 16 anos;

4 – O Road To Mandalay foi construído em 1964 e registrado no porto de Köln, Alemanha (onde costumava navegar o Rio Reno). Seu nome original era MS Nederland;

5 – Enquanto viajam por entre as águas de Mianmar, em principal nos cruzeiros que cruzam o norte do país, os turistas podem ter a sorte de ver os golfinhos Ayeyarwaddy, exemplares de água doce e com rosto arredondado (ao invés de um longo nariz, como a versão mais comum da espécie). Os Ayeryarwaddy são próprios das próximas à vila Nwe Nyein e a aldeia Tiaggyiang e estão em extinção. Em 2004, havia apenas 72 exemplares e, desde então, há um trabalho de proteção ambiental para garantir a continuação desta espécie, tão rara;

6 – O rio fica em constante mutação ao longo do ano, e seus níveis de água oscilam entre 40 pés de profundidade (na estação de cheias) e apenas 6-10 pés de profundidade na estação de águas baixas. Com a constante mudança nos canais do rio, cada viagem feita através dele é diferente. Durante a época de menor nível da água (entre dezembro e fevereiro), os hóspedes vêem o Road To ‘Zodiac’ Mandalay navegar tendo uma técnica milenar como guia: a equipe de bordo mede a profundidade do canal usando uma estaca de bambu;

7 – A bordo, os hóspedes podem aprender a fazer a famosa salada de folhas de chá verde ou Salada Lehpehtoh, com o Chefe Adjunto do The Road To Mandalay. Os principais ingredientes desta iguaria são as folhas de chá verde fermentadas, alho frito, amendoim, feijão manteiga, tomate fresco, sementes de gergelim, camarão seco e, é claro, pimenta fresca;

8 – Para quem deseja conhecer a bebida local, vale experimentar o ‘Mandalay Rum Sour’ – um coquetel composto de xarope de açúcar de limão e rum destilado da região. A bebida é perfeita para um cocktail ao pôr do sol no deck superior do navio!;

9 – Há aproximadamente 50.000 ladrilhos de jade, colocados um a um, por todo o navio. A ideia é criar paredes como as de casa de banho antigas. O trabalho pode ser visto nas cabines Deluxe & State, bem como nas suítes Governors;

10 – ‘Rio Irauádi´ tem diferentes significados: no hinduísmo, pode ser traduzido como Rio Elefante, quanto que em sânscrito Irauádi significa Refresco. Na língua Mianmar, o termo “Ayeyar Ma!” significa algo muito grande.

By: Guilherme Mendes Ayala / site: www.orient-express.com/web/rtm/the_ship.jsp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *